sexta-feira, 14 de junho de 2013

Rapidinha com a cunhada com o irmão no banho

Caros leitores, o que passo a narrar aqui aconteceu na semana passada, parece loucura, mas è a pura verdade. Não vou citar nomes para preservar nossas identidades. Sou casado há 16 anos e meu relacionamento com minha esposa já não e mais o mesmo de quando nos casamos. Qualquer motivo por mais banal que seja, e motivo de briga. Quando isto aconteceu já fazia quase um mês que não se falávamos, sexo nem pensar. Bem, numa de nossas brigas, resolvi passar na casa do meu irmão e convida-lo para tomar umas cervejas e desabafar. Meu irmão e quatro anos mais velho que eu, hoje esta com 46 anos. Minha cunhada tem a mesma idade minha, 42 anos, e para a idade dela esta muito conservada, pois ela sempre se cuidou, não e páreo para nem uma menina de 20, mas ainda e muito desejada pelos homens. Quando solteiro morei muitos anos com eles, só sai da casa deles quando me casei, sempre rolou muito respeito entre nos, claro que quando mais novo já tinha batido muitas punheta pensando na minha cunhada, eu era louco pelos seios dela, e de médio para grande, muito bonitos, mas não passava de uma fantasia. Bem, vamos aos fatos: Cheguei à casa do meu irmão, convidei para umas cervejas e ele disse que iria, mas, primeiro tinha que achar uns documentos que eram muito importantes para fechar a venda de um terreno. Enquanto ele procurava em seu quarto fiquei na cozinha conversando com minha cunhada. Ela lavava umas louças na pia, não pude deixar de reparar nas pernas e no traseiro dela, pois ela usava uma sainha jeans bem curtinha que conforme os movimentos que fazia davam para ver sua calcinha. Eu que tava na seca há muito tempo, meu pau já deu sinal de vida. Estava me incomodando, de tão duro que tava, chegava a doer, e como estava usando uma bermuda de tecido fino não tinha como esconder e ela já tinha percebido, pois ela disfarçadamente olhava o volume que formava na minha bermuda. Ela percebendo minha situação continuava seus afazeres e agora para me castigar se insinuava mais pra mim. Quando ia pegar um copo d água na geladeira, meu irmão apareceu na cozinha dizendo que tinha achado os documentos que procurava, e para disfarçar meu estado rapidamente sentei numa cadeira encostado-se à mesa. Ele disse que ia tomar um banho no banheiro que ficava ao lado da cozinha porque o da suíte estava queimado e tão logo acabasse o banho sairíamos. Voltou do quarto com uma toalha e entrou no banheiro para tomar seu banho. Quando escutei o barulho do chuveiro não consegui me controlar, quando minha cunhada se abaixou para guardar umas loucas cheguei por trás dela e a enconchei de jeito, ela tentou se livrar, mas o meu tesão era tanto que a forcei de encontro a pia a imobilizando, ela disse: você esta louco seu irmão esta no banho. Naquela hora não tava nem ai, levantei a sainha dela e tirei meu pau pra fora sempre segurando firme para ela não escapar. Roçava meu pau na bundinha dela com forca, ela viu que não tinha jeito e para evitar um escândalo resolveu cooperar. Puxei sua calcinha de lado e enfiei dois dedos na bucetinha dela e ela suspirou fundo, ela estava toda molhadinha de tesão, encostei no ouvido dela e disse: sempre tive tesão por você e hoje tu não me escapa. Ela disse você e louco, tem que ser rápido senão teu irmão nos pega. Abaixei sua calcinha abri suas pernas ajoelhei e meti a boca naquela buceta quentinha e molhada ao mesmo tempo, ela disse não temos tempo pra isso, vamos esquecer as preliminares. Enquanto não senti o gozo dela na minha boca não parei de sugar aquela buceta. A água continuava a cair no banheiro, virei a de frente e levantei a camiseta dela e chupei com vontade seus peitões enquanto enfiava a mão na buceta dela, tudo isto em questão de minutos. Peguei sua cabeça e forcei em direção ao meu pau ela disse: não vai dar tempo, mas eu queria sentir meu cacete em sua boca, rapidamente ela abaixou e abocanhou meu pau, ai que delicia de boquete que ela fez mesmo sendo rapidinho. Quando estava quase gozando, puxei a pelos cabelos e coloquei a de costa pra mim ela se agachou sobre a pia ficando de quatro oferecendo aquela bundona linda motivo de muitas punheta no passado pra mim. Encaixei meu pau naquela buceta e enterrei sem do nem piedade, minha cunhada gemia baixinho para meu irmão não escutar, segurei nos seus peitões e puxava ela com tudo de encontro ao meu pau, aumentei o vai e vem e no sexo selvagem que fazíamos não sei como meu irmão não ouvia a batida de nossos corpos quando se encontrava. Pensei em comer seu cuzinho, mas ouvimos quando meu irmão desligou o chuveiro, rapidamente aumentei o ritmo e gozei feito louco na buceta da minha cunhada, foi o tempo de nos refazermos e meu irmão saiu do banheiro, não sei como ele não percebeu um filete de porra que descia pelas pernas da minha cunhada. Assim que ele entrou no quarto minha cunhada entrou no banheiro para se limpar, disfarcei um pouco e entrei logo em seguida. Limpei-me e sai, meu irmão já estava me esperando. Despedi-me da minha cunhada e fomos para uma lanchonete, lá meu irmão me confidenciou que estava sem falar com minha cunhada, pois ela o tinha pego com uma namorada dele. Ainda não deu tempo de pensar no que aconteceu, só sei que foi muito bom, ainda não vi minha cunhada depois da nossa foda rapidinha. Não sei o que vai acontecer daqui pra frente, se pintar mais alguma coisa contarei para vocês. Um abração a todos e ate outro conto. Quem quiser fazer algum comentário meu e-mail e: aventura.ctba@ig.com.br

Meu marido arrombou o cu de minha irmã

Minha irmã é muito dada comigo, ela é um pouco baixinha, tem bunda grande seios farto, cabelo encaracolado e um lindo sorrindo, uma moreninha gostosinha. Seu grande problema é o seu marido que o maltrata demais, é grosso, machista, ignorante, mulherengo, e infiel demais, aliás, eu já usei ele só para dar o troco para meu marido e pra esta minha irmãzinha, que me traiu também. No mês de dezembro ele vieram passar as férias em minha casa. Deste nosso casamento notei uma amizade muito além entre meu esposo e minha maninha Gabriele, qual chamo de GABY. E nesta feria como ela estava brigando demais com seu esposo, ela chegou a conversar comigo dizendo qua estava há 5 meses sem transar, e perguntou como estava indo minha relação e muito outro detalhes, inclusive o tamanho do pau de meu esposo e se eu fazia sexo anal, essa parte eu omiti, mesmo porque era coisa intima de casal.Quanto ao pau dei bastante detalhes, e isso despertou sua libido. Por vezes vi meu esposo abraçando, beijando em seu pescoço, acariciando sua costa e etc.. Como estava desconfiada deles resolvi tirar as prova à limpo. Meu cunhado disse que queria passar uns dias no interior curtindo as praias, minha Irma disse que não iria, e que ele poderia ir só. Minha chance apareceu; disse ao meu esposo que precisava ter uma reunião às 19;00 horas e que poderia demora, perguntei se ele não se incomodava ficar em casa fazendo o jantar. Ele logo aceitou. No horário de sair me arrumei peguei o carro e deixei o portão destravado, deixei o carro estacionado na esquina e voltei correndo, como já estava escuro fui pelo lado da casa e pela abertura da janela pivotante vi o que já esperava: minha Irma com blusa abaixada e meu esposo chupando seu seios ela gemia baixinho, ora ele chupava um ora outro.
Em certo momento baixou sua calça de lycra ela estava sem nada por baixo, dava de ver que sua buceta era bastante cabeluda e negra, característica de nossa família, ele meteu o dedo e ficou movimentado ela torcia a cabeça, fechava os olhos e lambia seu próprios lábios,fechava as perna e se contorcia. Ele enfiou seu três dedos e movimentada em rápido, eu podia ouvir aquele som de batida característica de uma buceta quando esta encharcada de gala. Sua pernas estavam bamba, então Gaby se apoiou no seu ombro e ele continuo a meter o dedo na sua buceta. Não aguentado mais ele deitou ela na cama tirou sua calça e começou chupar sua buceta, ele chupava como louco sua bocetinha que já estava encharcada de tesão, ela empurrava sua buceta contra sua boca e rebolava e dizia: isso chupa minha bocetinha, chupa meu gostoso, não aquentando de tesão meu marido a colocou de quatro e lambeu seu cu também. No momento ele mandou Gaby sentar e pediu para chupar seu pau. Ela baixou sua bermuda e aquela pica cabeçuda e enorme apareceu. ““Meu Deus como é grande, eu não vou chupar isso não cabe na minha boca”, ele disse, “ vai sim!” e segurou sua cabeça e enfiou o pau da sua boca, no momento vi minha maninha com o pau dele na boca. E foi fudendo na sua boquinha , enfiando seu caralho e segurando-a pelos cabelos, puxava toda contra seus pau, parava e segurava. Minha mana lutava em vão para tirar aquilo da boca. Enfiou o cacete até sua garganta, senti que gaby se engasgou, e quase vomitou, vi lágrimas correram pelo rosto, ele tirou o pau, e ela teve ânsia de vômito novamente, e vi que foi ficando uma saliva grossa espessa grudada no pau até sua boca, Ele acabou gozando em dentro Gaby grunhia, pois não queria aquilo, mas ele segurou forte e urrou alto e derramou seu esperma todo dentro da boca dela. Ela correu para o banheiro ele foi atrás e eu só podia ouvir ela dizendo que não queria mais, ele achava graça, ela dizia não, pára, não...aiiii. Acho que ele estava tentando comer seu bumbum. Em pouco tempo, eles voltaram. Ela sentou na cama e colocou seu pau na sua boca novamente e começou a chupar, sua boca em torno do cacete era a coisa mais incrível que eu já tinha visto, estava toda aberta e preenchida. Minha mana engoliu tudo e continuou chupando não permitindo que seu pau amolecesse, a seguir ela deitou na cama, abriu as pernas expondo por completo sua xoxotinha pequena e pediu: “agora meu cunhadinho vai me foder, vem comer sua cunhada, vem, enfia esse pauzão, estou louca pra experimentar outra pica, vem foder sua cunhadinha”!. Ele Foi pra cima dela de vara em riste e ela mesma colocou seu pau no lugar certo, pedindo que eu lhe enfiasse a pica. Ele fez como ela mandou enfiou com força. Ela deixou escapar um grito agudo em meio a frase “aaaaaiiii é grande demaaaaais, pára... para.. tirar por favor”, ele parou e tirou aquela picona toda cheia de esperma, ela pediu um tempo. Ele voltou pra cima dela e iniciou um movimento de vai-vem lento, porém firme, forte. Ele parecia estar enfiando todo aquele cacete na bocetinha “apertadinha” da maninha. Ela soltava um gemido contido a cada movimento de entrada. Eu parecia estar sentindo o tesão dela. Era um tesão imenso, estava vendo ela se deliciar com meu homem. Não demorou nem cinco minutos e as estocadas já estavam mais rápidas e violentas. Ela gemia alto, e pedia para não parar.. Eles se abraçaram e se beijaram gostoso na boca, e gozaram junto e assim ficaram por um tempo. Ele passava a sua mão no rabo dela, sua cintura fina realçava o quadril escultural e o traseiro maravilhoso. Ele pediu seu cu, então Gabyzinha, virou e empinou seu bundão, e ele segurou pela cintura e começou a enfia sua língua no seu toba e depois começou a brincar com os dedos e ela gemia muito , aos poucos foi se acostumando.Então disse: “Pode comer meu cú, mas se eu não aguentar voce tira” - ele sentou por cima de seu bundão, abriu-o, admirou por uns segundo, e ficou pincelando e cuspindo no cuzinho, para facilitar a entrada, e começou a enfiar devagarinho aquela cabeçona, ela gemia e rebolava o bumbum e suspirava a cada centimetro que entrava no seu cuzinho. Modestia à parte, meu esposo e muito bom na arte de comer um cuzinho. gradativamente ele foi metendo e estocando. Ele acariciava seu clitóris, seios e pescoço, ela já gemia alto, ”hummmmm que delicia de pau como é bom sentir seu pau entrando e saindo no meu cu. Ele empurrou um pouco e ela deu um gemidinho, mas gostou e inicio o vai e vem, no começo devagar, mas depois começou sentir tesao começou a acelerar, acho que entrou a metade da rola no cuzinho dela. Gabyzinho pediu então com toda força. Ele segurou pela cintura e empurrou com força, ela não aguentou e começou a chorar de dor “ Aiiiii... meu cu tá doendo muitoooo, e colocou a mão para trás com o braço esticado tentando empurrar, mas dali ele não sairia, estava dentro e dentro ficaria.. Sem parar ele continuou a socar mais forte eu fiquei louca de tesão, e a buceta molhadissima de gala, escutando ela gritar.Lembrei que ele fez o mesmo comigo. Ele apoiou ela em um travesseiro, segurou suas pernas e montou em cima dela e começou novamente as bombadas. O corpo pequeninode Gaby, desaparecia embaixo daquele gigante, e acho que o peso do meu marido, imobilizava-a, fazendo com ela fizesse movimentos lentos e cadenciados e isso deixava o excitado, então ele enfiou até os ovos no cu dela, parou ficou dentro empurrando firme, sem movimentar. Ela chorava copiosamente, gritava e se debatia e pediu: “pelo amor de Deus não aguento, chega, aiiiii...tá me rasgando”. Ele segurou pela sua cintura, tirou até a metade e enterrou em seguida com força: Foi outro grito alto. Aos poucos já tirava até a cabeça e metia novamente, Gabyzinha, chorava, gemia e se debatia, batia com as mãos no colchão, agora de prazer, com a mão enfiada na boceta se masturbando e mandando foder gostoso seu cu. Ele Metia com vigor, depois parava seu pau, e deslizava para dentro e para fora, o obstáculo foi vencido. Ele parou e gozou no seu reto. Minha maninha ficou chorando na cama e meu esposo tirou seu pau melado de gala e derramou o resto em sua costa. Ele arrombou o cuzinho da maninha, e quando tirou o cacete, abriu a bunda dela, e seu cu estava um buraco enorme, pois o esfíncter relaxou. Para completar, enfiou e tirou o pau No dia seguinte Gaby não quis e nem podia sentar na cadeira, perguntei o que tinha acontecido, ela disse que era uma ferida na sua perna. Mas eu sabia a verdade e prometi que ia à desforra

Arrombei uma ninfetinha no lazer escolar

Fim de ano é sempre a mesma coisa. Amigo secreto, confraternização e coisa e tal. Isso que vou narrar aconteceu comigo no ano passado. Só vou contar agora porque dia 19/12 vou nessa mesma confraternização e isso me deu vontade de relatar o que aconteceu em 2007.

Durante a semana nossa coordenadora da escola recolheu dinheiro para uma confraternização num sítio. Até aí legal mas já fiquei imaginando o saco que seria. Professores quando estão juntos o papo é sempre o mesmo: aluno.

Chegando o dia do tal lazer peguei meu carro e fui na escola encontrar com o pessoal. Lá quem não tinha carro se ajeitava com quem tinha. Todos em cada carro rumamos para o sítio. No caminho bastante descontração, risadas, piadinhas, etc. Chegando no sítio começamos a organizar as coisas: ligar o som, colocar a cerveja na geladeira, os variados pratos e etc.

Me animei porque o lazer não se resumia só em professores vi que amigos e parentes também vieram. Nessa reparei numa ninfetinha que fora também convidada e que ajudava na arrumação. Claro que o nome dela não vou dizer mas o perfil não posso deixar de descrever: cabelos compridos e pretos, seios pequenos, bundinha empinada, pernas cumpridas e usava um shortinho azul que realçava sua beleza e sensualidade.

Com os comes e bebes e som rolando a festa começou a ficar mais animada. Pela menina ser muito bonita não parava de olhar para ela, principalmente para sua bunda. Como sou louco por bunda não tinha como disfarçar meu desejo. Quando ela foi para a piscina não perdi tempo, fui atrás. Na piscina me aproximei e começamos a conversar.

Voltamos para o rancho e fiquei ainda conversando um pouco com ela. Comecei a reparar que durante todo aquele dia ela não parava de me olhar. Um dos meus colegas até comentou da pagada de pau que ela estava dando. Meus olhos não desgrudavam da bundinha dela. E pensei comigo: se der esquema vou dar uns pega nessa mina.

Com a cabeça cheia de cerveja fui dar uns mergulhos de novo e logo atrás vinha a perdição entrando na piscina também. Me animei e nadei em direção dela.

- E aí está gostando do lazer?

- Estou sim. Um pessoal bacana e divertido né!

- É verdade. Eu pensei que seria chato mas estou vendo que valeu a pena!

Reparei que ela estava com medo e perguntei.

- Você não sabe nadar?

- Sei mas muito pouco. Tenho medo de ir para o fundo!

- Pode vir eu fico perto de você!

Ela então começou a entrar um pouco mais. Num dado momento ela ficou insegura e se arragou no meu ombro. Eu nada bobo dei mais um passo em direção da parte funda. Aí ela segurou de verdade e disse:

- Aqui é fundo. Tenho medo!

- Não se preocupe segura em mim!

Na piscina tinha algumas crianças brincando que nem repararam em nós. Nessas alturas minha rola já estava dura dentro da sunga. Conforme a agitação fui me encostando nela por trás. Acho que ela sacou o lance pois foi encostando sua bundinha no volume do meu pau.

- Me segura tá, se não afundo!

Meu pau estava tão duro que achei que iria comer aquela menina ali mesmo. Esfregava discaradamente e ela gostando. Não aguentando mais disse:

- Já vi que você está gostando da encoxada!

- Disfarça se não a criançada vai perceber!

Comecei a passar a mão na bucetinha dela por cima do biquini. Ela então passou a gemer baixinho e apertar meu pau.

- Ssssssss...que rola dura meu Deus do céu!

Como ali não tinha jeito nos recompomos e disse então:

- Vamos fazer o seguinte você sai primeiro da piscina e depois eu saiu. Te encontro num quartinho de ferramentas perto do campinho de futebol lá embaixo tá!

Assim fizemos. Fui até o tal quartinho e fiquei esperando. Alguns minutos depois ela apareceu. Disfarçamos tão bem que ninguém sacou nada. Entramos já nos agarrando feito loucos. Beijei com vontade aquela boca e ela a apertar meu pau por cima da sunga.

- Vamos logo não podemos demorar muito tempo se não as pessoas vão sacar que sumimos!

Comecei então a mamar os peitinhos dela e a passar a mão em sua bundinha. Ela ajoelhou-se e tirou meu pau da sunga. Olhou com admiração e disse:

- Noooossaaa que cabeçona, sssssss...

Apesar de ser novinha sabia mamar um pau muito bem. Colocava inteirinho na boca, lambia, chupava a cabeça e descia até embaixo.

- Isso safadinha chupa essa rola, sssssss....aaaaiiiiii...que delícia de boquinha!

Caí de língua na bucetinha dela. Gemeu até pedir que comesse logo.

- Vai come logo não aguento mais come!

Nesse quartinho tinha uma mesa um pouco baixa. Ela se apoiou na mesa e encostei minha rola por trás. Esfreguei a cabeçona na entradinha da buceta e fui colocando bem devagar.

- Aaaaaiiiiiii...sssssss...iiiiisso de-va-gar!

- Nooossaaa que bucetinha apertadinha hein!

Iniciei o vai e vem bem gostoso naquela bucetinha linda. Enquanto metia naquela ninfeta escutávamos o barulho dos garotos brincando no campinho.

- João você vai no gol beleza?

- Eu também quero jogar Edson!

- O meu já está completo vai pro lado do Jefferson...

Escutando isso e plaft, plaft, plaft na bucetinha da minha putinha. Como estava sem camisinha disse que iria comer o cuzinho dela até gozar. Ela por sua vez disse:

- A nããão, eu nunca dei o cú e tenho meeeedo!

- Relaxa minha lindinha. Eu coloco bem devagar se doer eu paro! (falei tirando o pau da buceta e punhetando devagar)

- Não sei. Minhas amigas dizem que mulher que dá o cú é vagabunda!

- Que ridículo. Não tem nada a ver. Hoje em dia muitas meninas estão dando a bundinha sem nenhum problema!

- Eu sei mas não é normal!

- No sexo tudo pode acontecer. O que manda é o prazer. Deixa eu comer vai. Dá o cuzinho pra mim dá!

- Tudo bem vamos tentar. Mas bem devagar hein!

Sem demora passei saliva no cuzinho dela e encostei a cabeçona. Fui então empurrando bem devagar. A cabeça já se cumprimia na portinha do cú. A ninfetinha se contorcia de medo e ansiedade. Foi indo, foi indo e passou a cabeça.

- Noooossaaaa...que cú apertado!

- Aaaaaaiiiiii devagarzinho, assiiiimm. Seu pinto é muito grosso!

Meu pau já começava a ser engulido pelo cuzinho dela. Iniciei então um vai e vem bem devagar até acostumar. Enquanto isso, lá fora:

- Vai João agarra a bola pô!

- Gooooolllll!!!!!

- Caralho meu. Segura os cara aí pô!

A garotada jogando bola e eu comendo um cuzinho apertadinho de uma ninfeta. Nessas alturas eu já tinha aumentado a velocidade e a safadinha rebolando no meu pau bem gostoso.

- Ai, ai, ai, ai, ssss, uiiiiii, delícia de cacete. Fode. arromba minha bunda. Aaaaaiiiii, uuuuummmmm, sssssss...

- Nossa que cuzinho gostoso!

O cuzinho dela já acostumara com meu pau pois flexionava com mais facilidade. Eu socava bem gostoso e beijava a nuca dela. Ela virava pra trás e me dava um beijo na boca dizendo baixinho:

- Pintão gostoso, aaaiiiiii, ssss...arromba meu cú, iiisso...

Depois de tanto entra e sai naquele cú fantástico anunciei que iria gozar.

- Aaaai vou gozar, vou gozar, vou...

Comecei a bombar o cú dela com força e despejar minha porra reto a dentro. Ela gemia alto e rebolava gostoso.

- Isso goza no meu cú, enche ele de porra vai!

- Que cuzinho safado! Toma minha porra caralho!

Falava isso e empurrava todo o cacete até o saco. Que metida gostosa. Gozei feito um besta naquela bundinha gulosa. Nem parecia ser virgem aquele cuzinho lindo e delicioso. Meu pau aos poucos amolecia dentro do rabinho dela.
Tirei e pedi que chupasse mas ela não quis. Limpou apenas na calcinha.

- Nossa que foda! Meu cú está até amortecido de tanto levar pau!

- Não esquenta daqui a pouco passa. Você mete gostoso pra caramba!

- É nada, você que mete gostoso.Só não fala pra ninguém tá! ( dizia isso pegando no pau com todo carinho)

- Tudo bem!

Coloquei a sunga e ela o biquini e ficamos esperando uma oportunidade de sair do quartinho. Quando chegou a hora certa ela saiu primeiro e minutos depois eu saí. No rancho o pessoal bebia e dançava. Nem se tocaram do nosso sumisso. Ela foi novamente para a piscina e eu pegar uma cerveja na geladeira.

Na próxima sexta vai ter confraternização de novo e estou torcendo que ela apareça por lá. Não acredito muito pois nestes dias eu a vi com um namoradinho. Não precisa ser ela pois se pintar outra eu arrasto para o quartinho também (rsrsrsrs).

Comendo a crentezinha

Engraçado como as coisas são quando somos jovem não? É tudo tão novo e proibido! Tenho dezoito anos , sou fanático por jogo de cartas, aliás, eu e a rapaziada toda, todas as noites damos um jeito de uma partidinha de Pôker ou truco, quem sabe um conhaque, ou se não tiver, uma Pepsi mesmo, só pra adoçar a vida amarga.

Ultimamente o pessoal está bem disperso, muito ocupados ou cansados demais para uma partidinha, logo, tratei de arranjar outras companhias para as noites de lua. Já tinha em mente alguns outros amigos, juntei-os e por acaso um dia calhei de jogar com uma conhecida qual vou chamar de Minie, este é seu apelido. Chamou:

- Gente, vamos jogar uma partidinha de truco?

Sem exitar:

- Claro. Respondemos

Minie era uma garota linda, muito mesmo, digo isso sem exageros, fatidicamente era uma bela loira dos olhos verdes, pele branquíssima, sorriso perfeito, a ponto de causar inveja a própria Monalisa, naquela noite, vestia-se de um shortinho curto, um palmo e meio de comprimento, seios pequenos, todavia suficientes, aquela perna lisinha me deixou louco, assim que nos sentamos; entretanto, tamanha perfeição jamais poderia abster-se de um defeito. A linda ninfa era Crente, sim, protestante, que me desculpem os ditos cujo que se ofenderam com tal sentença, mas para um jovem que quer transar com a garota mais bela que já viu, ser crente é empecilho sim, aliás, se tu leitor, fores evangélico, estas em lugar errado, estes dispostos são de interesse de puros pecadores, não dos filhos de Javé. Sentamos todos na mesa, fiquei pensando se um dia teria chance com Ela, era tão linda e tão gostosinha que era surreal para mim. Vi um anel de prata, reluzindo em seu dedo, não me contive e indaguei:

- Anel de compromisso?

- É, sou moça comprometida. Concluiu.

Fiquei meio sem graça, não teria chance, crente e comprometida, o que mais poderia dar errado? Ser comprometida com uma mulher? Mas nem tudo são lamúrias na vida de um jovem esperto, disse a ela que queria combinar os códigos para nos comunicarmos durante a partida. A outra dupla levantou-se para esquematizar seus códigos também, ficamos nós dois, sugeri levantar e ela se negou, disse que podíamos combinar ali mesmo, estávamos frente a frente, ergueu-se em cima da mesa, sua blusa decotada, meio larguinha, justamente pela ausência de volume, mostrou tudo o que eu queria ver, lindos peitinhos cor de rosa; ela falava no meu ouvido as “táticas de guerra”, confesso-te, tarado leitor, que não escutei nada o que dizia, apenas olhava, apreciava, comia com os olhos e desejava, aquele lindo corpo... Ah Minie, que delícia.

Fiquei meio disperso durante todo o jogo, pensei sobre aquela cena, será que Ela fizera tal movimento acidentalmente ou teria algum cinismo ou malícia oculta naquele ato?

O jogo continuou, e durante ele, senti uma química rolar, pensei comigo... Será?! Pior das hipóteses não jogaria mais truco com ela. De repente, sinto um pé macio e quente repousar sobre meu joelho, até ai tudo bem, mas com o desenrolar do jogo, senti que aquele repousar ficava mais intenso, não apenas queria esticar a perna, mas era um sinal para avançar. Começou a alisar minhas coxas, estava de short largo, e em um momento, afundou seu pezinhos por entre meu short, até encostar no meu saco cuidadosamente, depois sorriu e continuo jogando. Senti um tesão terrível, aquele jogo de sedução me corroia, esperei intermináveis 1:30 até que todos enjoassem e fossem embora, disse aos outros que não iria, iria pegar uns livros com Minie, nossos amigos se foram e ficamos a sós, eu e Minie. Ela sorriu para mim e veio chegando mais perto, nisso estávamos na calçada de sua casa, impulsivamente a agarrei com uma pegada forte, desejosa, puro tesão; beijei-a, gozei daquele beijo o quanto pude, nisso, já passava a mão pela bundinha lisinha e empinadinha, ela me puxou para dentro de casa, começou a beijar meu pescoço, deitamos no sofá, ela tirou a roupa e disse:

- Vem, sou toda sua!

Não pensei duas vezes, de fato, nem pensei, virei de posição, ficando por cima, fui beijando seu corpo, comecei no pescoço, ela delirava de tesão, quando desci para aqueles peitinhos deliciosos, já estavam durinhos, esperando ser chupados,os lambi deliciosamente, continuei descendo, beijei aquela barriguinha sarada até chegar na bocetinha rosadinha, comecei a chupá-la frenéticamente, ela gemia, gemia alto, o tesão era sentido na sua pele, que todo tempo permanecia arrepiada, pedi:

- Quero te fazer gozar

- Mais ainda? Perguntou com ironia; Pode vir gato, mete gostosinho. Pediu

Meti devagarzinho, como se penetrasse no universo do gozo permanente, um êxtase sem fim veio-me a ânsia, comecei a meter, ritmado e devagar, ela gemia gostoso, uma linda voz, tão sexy que seria capaz de levantar até o mais capenga dos velhos broches, gemia numa voz finíssima.

Parei, veio á mim e fez um oral inesquecível, queria prolongar tal ato, sentia o prazer no ar, era notávelmente o momento perfeito, mudamos para o tão famoso "69", aquele festival de perverção continuava incessante.

Movimentos longos, linguas por entrerolares e gozos em cima de gozos

Mudamos de posição, ela me veio por cima, começou a cavalgar, ela continuava a gemer gostoso, era inexplicávelmente deliciossímo; não acreditara que tal cena estivesse acontecendo, era tão surreal ter uma mulher como aquela, 23 anos, crente e comprometida, e agora, gozando no meu pau? Metaforicamente dizendo, era uma chama se entregando ao mar, a sensação de algo proibido aumentava ainda mais aquele clímax descomunal.

Uma meia hora depois gozei, aliás, gozamos juntos, nunca tivera tido experiência tão maravilhosa, tivera possuído a garota dos sonhos de qualquer um, não só possuído, mas eu a fizera delirar de tesão, um orgasmo incomensurável, qual não pode ser descrito com palavras.

Ao final, depois de tomarmos banho, juntos, diga-se de passagem, perguntei a ela se poderíamos nos ver novamente, negou, disse-me que fizera aquilo por desejo, estava fora de si e que apesar de ter amado tal feito, não poderia se entregar a luxúria e a infidelidade.

Demos um beijos caloroso, talvez o ultimo entre nós, e nos despedimos. Continuo jogando truco todos os finais de semana com ela, às vezes me conta que tem saudades e que vez em quando, se masturba pensando em mim, e eu igualmente, claro, como já era de se esperar. Sonho no dia em que a terei novamente em meus “braços”.

Foda com um negro na cozinha

Olá de novo , sou a Darlene de 30 anos , casada , e mãe de dois filhos , com 6 e 3 anos , estou aqui para partilhar com vocês um a facto real que aconteceu a 2 semanas na minha vida , um traiçao .

Era uma Quarta- Feira , estava de folga, o meu marido estava no trabalho , a minha filha mais velha na escola , e o meu filho mais novo em casa da minha mãe, sem nada para fazer decidi enfiar os dedos na minha cona molhadinha , pois estava a ver um dvd xxx , e assim estava eu no meu sofá a gemer de prazer até que ouço a campainha tocar assustada visto o fio dental a presa , e vou até porta espreitar , e vejo que é o meu vizinho de frente , Marcio , de 27 anos , um homem negro , lindo ,e muito sensual , sem pudor nenhum abro a porta em cuequinha , ele engasgado diz :

Bom Dia , ah meu deus Darlene , desculpe , eu volto noutra altura , ( apesar de envergonhado , olhou para a minha cona com uma enorme tesão)
Eu respondo de imediato : Não , não é preciso entra !

Ele entra senta-se no meu sofá , e diz o que precisava, ele queria que eu ficasse a tomar conta da pequena dele , Diana de 5 anos , pois tinha de ir até Aveiro , eu de imediato respondo que sim , e ele começa outra conversa :

Vejo que não está a trabalhar , fica em casa sozinha a fazer estas coisas?

Eu aceno com a cabeça que sim , e meto dois dedos na minha cona molhadinha , eu já cheia de vontade que ele me arrebentasse o cú , disse

Anda vem ! ( ele já com o pau todo teso , responde )
É para já.

E despiu-se , nunca tinha fodido com um preto , ele tinha um pau enorme , mal ele se despe agarro-me ao pau sem pensar mais nada , e chupo sem parar durante quase 15 minutos , até que ele me pega ao colo e me leva para a cozinha , colaca-me em cima da bancada e começa a lamber a minha cona , depois enfia o pau , ele enterra bem fundinho na minha cona e eu gemo de prazer , fica ali num vai e vem cerca de 10m , depois põe-me de quatro e fode o meu cú , e fica ali mais algum tempo até que decide trocar de posiçao , a verdade foi que eu deixei-o comandar todo , posemos-nos na posiçao de abelha , e ali estava eu a saltar que nem uma loca , até que ele se vem , peço para se vir na minha boca , e pela primeira vez engoli o liquido todinho.

Foi uma experiencia que quero repetir, nunca tive tanto prazer numa foda, a verdade é que não a nada melhor que levar no cú , se houver alguem disponivel para me foder todinha , na zona de lisboa , deixe um comentario , beijinhos !

Dando cuzinho pro desconhecido

Bom, depois de contar sobre como foi uma de minhas aventuras numa república, vou contar outra situação que eu adooooro lembrar. Eu, particularmente, amei, enlouqueci de tesão, então vou partilhar com vcs mais essa loucura.

Assim como o universitário que conheci no conto anterior, esse cara no qual cito agora tmb conheci pela net. Interessante pq não me lembro exatamente como nos add. Sei que ele estava la no meu msn a séculos, mas a gente nunca se falava. Passaram-se meses e ele lá. Nem sabia quem era. Enfim.
Numa madrugada qlqr, acessei o msn, e ele era um dos poucos on line. Assim que entrei, ele me cumprimentou e logo disse; 'caramba, nunca nos falamos, será que podemos agora? rs'.
Eu disse claro, e começamos aquela apresentação formal. Nome, onde mora, o que faz etc e tal, e o papo fluiu. Começamos a trocar as fotos da imagem pra ajudar na apresentação (ahha) e começou aquele assunto de estarmos solteiros, precisando de companhia, que estava friozinho e íamos dormir sozinhos e lá vai papo.
Eu morava sozinha, mas nunca comentava isso,ate pq era meio medrosa. Além do mais, pelo que ele disse,morava a quase 2 horas de distancia de mim.
Bom, nesse dia não passamos disso. Elogios um ao outro, o achei interessante, ele disse o mesmo, boa noite e até a proxima. Depois de umas 3 noites de conversa, começamos a falar umas besteiras. Dizendo o que mais gostava no sexo, quanto tempo não transavamos, enfim... o tesão começou a subir, o papo esquentando muito até que ele pediu meu telefone para ouvir minha voz. Resolvi dar... eram 3 da manha, eu ja louca ouvindo as sacanagens dele, pelo telefone iria ser ótimo. Quando o cara ligou, que voz...
ele já foi falando com aquela voz ofegante (isso me deixa doida), dizendo que se estivesse perto de mim ia colocar minha calcinha de lado, me chupar, me sugar ate eu gozar na boca dele, sentir os dedos dele entrar na minha xota ate eu implorar pra ele me fuder com força.. Bom, já vi que era dos meus... safado! Ficamos horas no telefone falando putarias deliciosas, e eu gozei que foi uma delicia. Bom,precisava encontrar esse homem pra ele me comer daquele jeito.
Comentei com ele aonde eu morava, e por um acaso ele conhecia o lugar. no auge do meu sono, loucura, tesão não sei, dei meu endereço e ele disse que no dia seguinte ele iria me fazer uma visita.
Depois que desliguei,pensei a merda que fiz. Não sei quem ele era, nem telefone dele eu peguei, nada. Lá ia eu receber visita de um tarado estranho.. ahha
Bom,o dia passou, fiz tantas coisas que praticamente esqueci do cara.
Cheguei em casa do trabalho muito cansada, ja quase 23hs da noite. Tomei um banho, coloquei minha calcinha eme esparramei no sofa comendo besteiras. (eu adoro ficar de calcinha em casa, sem nada mais. Gosto de ver tv passando a mão no corpo, passando a mao nos meus seios que eu acho maravilhosos, enfim, coisa de gnete que morava sozinha..rs).
Nessa hora lembrei do cara, mas pela hora, desacreditei de receber uma visita ne? Pela distancia acabei por esquecer. Dormi vendo tv.
Acordei com a campainha. Fiquei um pouco assustada. Olhei o relógio, exatas 02h33 da manhã. Pelo olho mágico vi que era ele. Alto, bem arrumado, básico mais bem arrumado. E eu, lerda toda vida, ainda meio que dormindo,abri a porta daquele jeito. Tipo, abri mas deixei o corpo atras da porta, como se o fosse dispensar. Ele me olhou, perguntou se tinha me acordado, eu ainda sem acreditar disse que não o que o fez dar um sorriso, acho que eu estava com carinha de sono. Fiquei sem saber o que dizer direito, não sabia se o mandava entrar...então ele falou, posso só descansar um pouco? vim de longe... 5 minutos está bom,uma água por favor, e logo vou embora. Eu ri..ahha
Sem saber o que fazer, ja que estava só de calcinha, pedi pra ele esperar um segundo, e qd eu encostei a porta para vestir uma roupa, eu vi que ele a empurrou devagar...
eu virei, olhei pra ele e ja subiu um calor... e disse meio sem vontade ; 'vou so me vestir'..
ele entrou devagarzinho, fechou a porta sem tirar os olhos de mim, e eu ali parada de calcinha, esperando o que ia acontecer...
Até que ele se aproximou muuito devagar, vou encostando o rosto perto do meu como se fosse me beijar, e desviou dando um cheiro de leve no meu pescoço. Sussurrou dizendo o quanto eu estava cheirosa. Eu amoleci. Senti as mãos dele passando pelos meus ombros, braços, tudo muito sutil e devagar, sem pressa o que me deixou louca. Ele não foi direto ao ponto, ficou passando a mão no meu corpo, sem me beijar, só me deixando ouvir sua respiração, sentindo eu amolecer com tudo aquilo a ponto de querer implorar pra ele me pegar e me comer.
Em um dado momento, eu me virei pra beijar e ele desviou... deu um sorriso maroto e disse que eu não deveria ter pressa. Pirei.
Ele então sentou no meu sofá, me pegou pela mão e me fez sentar no colo dele, de frente. Eu louca, já alucinada, sentei mirando bem no pau dele que deu pra sentir, duro como uma rocha. Deixei meus seios roçarem no rosto dele, que fechava os olhos, com tesão. A coisa começou a pegar fogo. Sentada em cima dele eu comecei a comandar a situação.
Roçava minha buceta no colo dele, no pau, peguei aquelas mãos grandes,coloquei os dedos na minha boca, e a gente o tempo todo se olhando no olho, uma coisa sem igual. Depois de melar os dedos dele com minha saliva, coloquei minha calcinha de lado e falei, 'não quer sentir se esta melada,quente, esperando por vc?' e ele respondeu, 'AGORA!
Gente, ele me deu uma dedada de uma vez só.. puta que pariu. nunca senti tanto tesão com uma dedada so. E começou a brincar com minha buceta enquanto eu o fazia mamar meus seios que ja estavam durinhos... que delicia.
Levantei do colo dele, pedi pra ele tirar a roupa.. enquanto isso, sentei numa cadeira de frente pra ele, abri as pernas apoiando uma em cada lado dele e comecei a me tocar...
Ele foi tirando a roupa me olhando louco, eeu dedava minha buceta melada, chupava meus dedos, sentia meu gosto, e enfiava meus dedinhos de novo, gemendo baixinho... até que ele se despiu, abaixou de frente pra mim e caiu de boca na minha buceta. Meu deus... que chupada de grelo ele dava. Ele entre minhas pernas, eu segurando sua cabeça e ele chupando e dedando minha buceta como se quisesse isso a tempos. Gozei horrores. Até que ele se levantou, e começou a tocar aquele pau grosso na minha frente... batia com ele na minha cara, segurou no meu cabelo e disse; vai sua puta.. chupa essa piroca toda.
cai de boca. mas chupei como uma louca, lambia, sugava, batia com ele na minha lingua, mas que delicia de pau. Então, ele me vira, me apoia na cadeira eu empino bem meu rabão pra ele, ele abre beem a minha bunda e eu sinto cada centimetro daquele pau entrando na minha buceta apertada, quente, mais melada do que qlqr coisa...
Mas que vai e vem delicioso. segurava forte na minha cintura, batia com força na minha bunda, gemia gostoso no meu ouvido. que homem delicioso, que tesão;
Então, depois de deixar ele estocar aquela piroca grossa e gostosa na minha buceta, coloquei ele sentadinho no sofá, e sentei gostoso no colinho dele. Rebolava, cavalgava, esfrevaga meus seios na cara dele, enquanto me tocava gostoso sentindo aquela piroca entrando na miinha buceta....
até que numa loucura de tesão, tirei o pau dele da minha buceta, e esfreguei gostosinho no meu cu. Estava piscando, eu queria sentir aquilo tudo no meu rabo. Queria leitinho no cu.
Eu vi que ele ficou surpreso, e então, segurou as duas bandas da minha bunda, abrindo, enquanto eu esfregava aquela cabeça gostosa e aos pouquinhos sentia aquela dorzinha gostosa.... estava entrando. E quando eu pensava que estava tudo bem, entrando devagar, eu controlando aquela dorzinha, ele enterra de uma vez só, e começa a estocar com força. Ao mesmo tempo que gritei de dor, eu gritei de tesão... Por um segundo eu me irritei... doeeeuuu... doeu muito! Mas estava uma delicia aquela dor, aquele pau arrombando meu cu.. e eu sentia ele metendo os dedos na minha buceta.. caralhooo... como eu gozei. Em seguida ele me deu o meu presente... leite.. muuuito leite no meu cu.Que deliciaaa.Urrei de tesão, e ele veio me dar um beijo tão gostoso, com tanto desejo que começamos tudo de novo.
Esse foi um sexo casual que durou um bom tempo. Mas como essa primeira vez, nunca mais aconteceu. Bom.. depois conto mais loucuras. Agora, preciso tomar um banho frio, fiquei com saudade de uma visitinha dessas... delicia!!! ;)

A Doutora

A Doutora.
Há algum tempo atrás eu estava com certo problema, e eu tinha um medico que era de confiança, este medico não por menos tinha duas filhas lindas com quem eu havia estudado., Karoline e Juliana. As duas eram lindas, mas o que aconteceu foi com a Karoline...
Um belo dia estava este problema já havia me ocorrido na noite anterior e eu liguei mais cedo marcando a consulta com o medico Dr.Jorge e ele me disse que eu poderia ir no consultório dele no dia seguinte que ele me atenderia, então chegando la já era quase hora de fechar e eu era o ultimo paciente do dia e meu nome foi chamado na lista.
Segui em direção a porta dei dois toques e ouço uma vós feminina vindo da sala: Pode entrar...
Achei estranho mas entrei... quando entrei me deparei com uma Karoline totalmente crescida linda de morrer, Loira, alta pelo menos 1,70 de altura olhos azuis lindos e um corpo que meu DEUS, em resumo.. ERA A MEDICA MAIS GOSTOSA QUE EU JÁ TINHA VISTO...
Pois bem... eu entrei meia porta e não a reconheci logo de cara e disse:
Me desculpe doutora achei que era o sr. Jorge que estava atentendo. Volto amanha.
Ela olhou bem pra mim e disse. Você não é o Roberto? Aquele do 2º colegial...
Sim sou eu Mas como sabe disso?
Sou eu Karoline seu Idiota.
Na hora em que ela me xingou relembrei de tudo... e disse: Juliana, Não você eh a Karol com certeza. A gente se abraçou e ficou falando agua um tempão ate que alguém bateu na porta... a mocinha da recepção perguntou se iriamos demorar muito e a gente já tinha ficado conversando já fazia uma hora e então a Karol mandou ela ir embora e disse que fechava o Consultório... e voltando ficamos conversando por mais quase uma hora colocando o papo em dia e ela me pergunta: e então porque veio aki.
Ahh Karol eh um assunto meio complicado por isso preferi falar com seu pai ele é homem iria me entender.
Deixa de frescura, isso é preconceito sabia, me conta logo o que ta acontecendo pra que eu tente te ajudar...
Bom é que.... eu tô com dificuldade de ereção.
Ela Riu.. e eu disse: o que tem de engraçado nisto?... so que mesmo rindo ela me olhou de um jeito que eu gelei na hora... ela me perguntou com um misto de cara de seria e de safada ao mesmo tempo... não sabia o que pensar na hora: a quando foi sua ultima “Tentativa de Transa”?... eu não sabia onde enfiava a cara menos o que respondia, alguma coisa dentro de mim respondeu: Ontem!.
Era alguma coisa sua? Namorada? Esposa?...
Eu disse que não que era só um peguinha qualquer... as palavras saiam da minha boca sem que eu soubesse o que estava falando...
Ela disse: deita ali na cama... eu fui sem falar nada, ela era a medica tudo que eu podia fazer era escutar o que ela dizia.
Deitei na cama como ela mandou e ela ainda estava sentada na mesa, levantou-se e tirou o jaleco colocou no cabide e veio em minha direção... ela usava uma saia branca ate os joelhos e uma blusa tomara que caia branca também, tirou os sapatos e eu perguntei: O que você ta fazendo? Ela não disse nada, tirou a presilha do cabelo e deixou aqueles lindos cabelos loiro caírem ate a cinturinha fina de violão... ela me olhou e perguntou: e ai? Te causo alguma reação? Eu já tava doidao com aquela mulher mas ainda tinha algo errado... eu olhei meio triste pra ela e ela riu... e disse: gosto de caras como você, precisam de estimulo pra começar. Eu não entendi porra nenhuma do que ela disse, mas ela veio na minha direção e colocou a mão no meu caralho e começou a acaricia-lo, senti meu sangue ferver na hora era como se meu corpo estivesse esperando por aquilo senti meu caralho subir lentamente e ela ficou olhando, olhando, olhando... quando de-repente ela cai de boca, eu não sabia o que fazer, mas estava tao gostoso que não fiz nada so deixei ela se “divertir”... cinco minutos depois meu corpo começou a tremer e ela sabia que eu iria gozar naquele momento então parou de chupar e segurou na base e me forçou a parar, aquilo era gostoso e ao mesmo tempo ruim não sei como expressar isto, e então ela me olha e diz: Vamos guardar o melhor pro final... eu não entendi bulhufas mas fiz o mesmo que ela, tiramos a roupa e ficamos praticamente nús eu de cueca e ela somente de calcinha(um fio dental vermelho hmmm)... não sei de onde veio, mas eu perdi o medo. Dei uma pegada na cintura dela e dei-lhe um beijo gostoso e ao mesmo tempo comecei a acariciar aquele corpo maravilhoso. Era tudo uma delicia, beijava aqueles peitinhos rosados lindos não muito grandes e nem muito pequenos na medida certa. Aos poucos fui descendo mais... peguei ela pela cintura coloquei em cima da cama de forma que suas pernas ficaram uma de cada lado meu, me arquei em sua frente beijei sua boca e ao mesmo tempo acariciava seu lindo peitinho... fui descendo a mão e cheguei ao encontro de sua xaninha que já estava encharcada, ela deu um gemidinho baixo que me ascendeu mais ainda... fui descendo e cheguei no “Play Ground”... ela tava toda molhadinha fiquei olhando por alguns instantes e cai de boca. Chupei todo aquele mel. Ela gemia, se contorcia e dizia: Isso assim, Hmmm isso mais,mais, Ai Meu DEUS! Fiquei chupando ela por alguns minutos e eu senti o corpo dela começar a estremecer, e ela como uma louca disse: não para agora.. eu continuei, ameacei de tirar a cabeça de la e ela me pega pela nuca e me força a continuar, ai já não tinha mais jeito, em menos de um minuto veio aquele jato em meu rosto... a coisa mais deliciosa... melhor que manjar hmmm coisa boa.... ela olhou pra minha cara, e disse: Me Fode, Me Fode AGORA... ela já não precisava mandar mais nada... ela já tava na posição que eu queria segurei meu caralho na frente da xaninha dela, coloquei a cabecinha e tirei e ela sussurrou no meu ouvido um gemido que me ascendeu MUITO: Ahhhhh....coloquei bem devagarzinho, ela gemia bem gostoso no meu ouvido, fui colocando e almentando o ritimo e foi muito bom... 15 min nessa pose se passaram rápido e mudamos fomos pro tapete do chão(a cama não aguentaria nos dois) ela ficou de 4 na minha frente, aquela bunda maravilhosa branquinha e com uma tatuagem de diabinho hmmm era um convite sem pensar muito... mirei na bucetinha rosadinha e deliciosa dela... comecei bem de vagar e fui almentando o ritmo e comecei de novo akele vai e vem bem rápido e ela gemia muito gostoso mas baixo pra não levantar suspeitas sobre nada... a gente ficou nisto por um tempo e quando dei por mim meu corpo estremeceu e ela sabia que eu iria gozar então parou e disse: ã ã, isso é o gran finale.. mete no cuzinho? Eu perguntei? Tem certeza disto? Ela fez uma carinha de safada que não deu pra recusar .... lambusei meeu caralho com um produto que ela tinha e fui alisando a portinha coloquei a cabecinha, ela deu um gemidinho diferente e disse: ahh caralho, mais fundo. Antendi seu pedido e continuei a penetra-la quando alcancei o fundo tirei bem de vagar. E comecei o vai e vem e ela gemendo disse: delicia dar o cuzinho, vai me fode, vai, vai... continuamos por um tempo e eu senti que iria gozar ela disse: goza pra mim, goza no meu cuzinho... e não deu outra gozei tudo dentro dela... foi o gozo mais longo que tive.... paramos um pouco descançamos. E ela disse que queria me reencontrar novamente... e marcamos pra um outro dia, trocamos números de telefone e ela me liga as veses. E grassas a ela descobri que eu não tinha um problema, so precisava de uma intervenção antes da transa....


Galera Comente ai.. meu msn pra vcs mandarem sugestões... como disse antes isto eh um conto e como dito não eh experiência. É somente um conto narrativo(parece que eu tava la, Quem dera mas não tava) add ai marquinho303@hotmail.com

Provoquei gostoso e ele esfolou meu cuzinho

Ola acompanhantes dos contos de Nega e Nego. Vim sozinha contar a vocês mais uma foda nossa, já que meu Nego anda tão atarefado e não está tendo tempo para escrever junto comigo.
Estamos vivendo um momento deliciosamente maravilhoso de muito carinho, amizade e o que é mais importante para nossos leitores de muita foda.
Criamos um msn só para as nossas putarias. Entramos muito na sala de bate papo e add quem quer prazer no nosso msn.
Sábado a tarde, ele no trabalho sem poder me dar muita atenção e eu desesperada para gozar, sem poder ter aquela rola que eu adoro tanto.
Comecei a me masturbar só olhando a foto dele de pau duro e pensando em tudo que já rolou entre nós. Nesse dia fiz vários videos com cabo de vassoura e uma cenoura, como não podia ter a piroca dele no meu cu e na minha xoxota usei esses consolos.
A primeira gozada foi maravilhosa só olhando aquela rola na foto. Peguei o cabo de vassoura e comecei a enfiar na minha boceta lentamente me enchendo de tesão e me fazendo imaginar que era a piroca de meu nego que entrava, me dando muito prazer. Comecei a socar e não demorou muito eu gozei novamente. Peguei o cabo e comecei a enfiar no meu cu, a medida que ele ia entrando me dava dor e prazer e eu enterrava cada vez mais fundo num vai e vem gostoso e ao mesmo tempo tocava uma siririca. Meu grelo parecia uma pedra de tão duro de tesão e veio mais um gozo.
Nesse dia eu estava insaciável, cada gozada minha mais a vontade aumentava.
Com o cabo de vassoura no cu comecei a enfiar a cenoura na minha xoxota(uma cenoura bem grossa por sinal), eu ia socando a cenoura na boceta e o cabo no cu que me levava a loucura me fazendo gozar várias vezes seguidas.
Nessa tarde dei mais de dez gozadas gostosas, só que não estava satisfeita ainda , queria um homem me desejando.
Chegou a noite e eu entrei no msn onde gozei para tres homens diferentes. O primeiro era bem fraquinho mais o tesão era tanto que gozei assim mesmo.
O segundo era bem safado e tudo que ele mandava eu fazer, como uma boa puta obedecia. Pediu para eu enfiar o dedo na boceta depois tirar e chupar, como se eu estivesse chupando a rola dele, minha boceta latejava de tanto tesão. Então ele disse;
-Vai sua vagabunda mete quatro dedos nessa boceta e fode ela.
Meti os quatro dedos e fodi minha xoxota feito louca gemendo muito e pedindo para ele me xingar.
-Vai sua puta fode essa boceta, agora me mostra os seios e bate neles sua cadela.
Obedeci o macho direitinho, batia, amassava e chupava os bicos dos meus seios, levando ele ao orgasmo mais gostoso da vida dele. Quando vi aquele leite saindo daquela rola comecei a me masturbar e estava eu gozando novamente. Fechei a cam e fui buscar outro enquanto ele me chamava para fazer ele gozar novamente de tão gostoso que foi.
Chamei o terceiro e com esse já abri a cam com o dedo no meu cu, botava e tirava deixando ele paralisado de tesão. Falei para ele;
-Quero leite filho da puta, esporra não quero ver você paralisado, bate uma punheta.
Na mesma hora ele começou a punhetar e eu com dois dedos no cu comecei a manipular meu grelo e mais uma vez gozei. Ele batendo cada vez mais forte esporrou toda a lente da cam.
Saí e fui pra sala de bate papo, já que ali não fiquei completamente satisfeita e queria fechar com chave de ouro a noite.
Na sala de bate papo me denomino de bocetuda, quando entrei vários convites de ir pro reservado. O que eu fiz? Abri a cam para oito de uma vez e comecei a me exibir(vocês não tem noção do que é abrir a cam para oito homens ao mesmo tempo). Quatro eu consegui ver a reação ao mesmo tempo e ia revesando as páginas para ver de todos.
Mostrando meu bocetão e enfiando os dedos e o cabo de vassoura levei os oito a esporrarem e fui dormir satisfeita.
Já na segunda no trabalho comecei a contar com todos os detalhes via sms para meu maxo cada uma das minha aventuras na net, ele me disse que a rola dele parecia que ia explodir de tanto tesão.
_Hoje tenho que fuder esse cu de qualquer jeito.
-Vem que eu quero sentir essa rola no meu cu e essa boca na minha boceta.
-Vou te rasgar todinha, sua puta.
-É isso mesmo que eu quero.
Ficamos a manhã toda falando muita putaria e nos estigando o o tempo todo. Eu sabia que as crianças que estão de férias iriam sair e eu ficaria só, então já cheguei na intensão de ter aquela piroca a todo custo.
Por volta das 14:00H as crianças saíram e eu corri pro banho pra esperar ele bem arreganhada, nem o banho que tomei conseguiu lavar todo o tesão que escorria da minha boceta. Ela permaneceu toda molhadinha tanto que meus dedos deslizavam na minha boceta.
Avisei a ele que estava pronta, mais ele veio com a notícia que o síndico do prédio que mora ao lado do ap do meu irmão "patrão", tinha chegado e que talvez não pudesse subir. Falei;
-Não acredito nisso!
-Mais vou dar um jeito, tenho que fuder esse cu senão minha rola vai estourar.
Não demorou nem 5 minutos eu ouvi a porta se abrir, eu estava arreganhada esperando por ele. Pensei que ele ia logo cair de boca no me xoxotão como ele chama, mais não, mandou eu virar de costas e começou a beijar e lamber minhas costas até chegar a nuca(coisa que me deixa louca e com mais tesão ainda). A cada lambida na minha nuca eu me arrepiava toda e mal sabia o que iria acontecer, era só pra me deixar relaxada.
virei de frente e ele começou a mamar meus seios, apertava, batia na minha cara me chamando de puta, vagabunda e eu adorando apanhar. Foi quando caiu de boca no meu xoxotão, ele passava a língua no meu grelo e descia até meu cu, subia e enfiava no buraco da minha xota e não demorou muito pra eu gozar naquela boca. ele continuou mamando e bebendo cada gozo que eu dava.
Mandou eu ficar de quatro e então enterrou a rola de uma vez só no meu cu, quando ele meteu a dor foi tanta que caí na cama chorando e xingando.
-Para filho da puta ta doendo seu viado.
Cada palavra minha ele tirava a rola e metia com mais força ainda, as lágrimas escorriam e eu implorava.
-Não tira deixa meu cu se acostumar.
Aí é que ele tirava, era muita dor que eu sentia e estava quase desistindo quando comecei a me arrepiar todinha de tesão com toda aquela dor. Era a dor no cu e a dor dos tapas que ele dava na minha bunda.
A essa altura o tesão já era tanto que comecei um vai e vem naquela piroca, e, ele com sua tradicional reboladinha no meu cu, enquanto eu batia na minha boceta e me masturbava me levando a outro gozo espetacular.
-É rola sua vaca que você quer? Toma filha da puta!
-Quero, não para de fuder meu cu. Issoooooooo vaiiiiiii, deliciaaaaaaaa vou gozaaaaaaaaaaar
-Goza sua puta!Derrama seu leitinho.
-Viu como sou uma puta , que todos os machos da net desejam essa boceta?
Quando falei isso, ele socou mais forte ainda e disse;
-Vou gozar nesse cu e você vai ficar uma semana sem querer dar de tanta dor, sua piranha. Toma rola.
-Aiiiiiiii ta doendooooooooo, seu corno.
-É pra doer mesmo e pra você ficar sem sentar, sua vadia. Agora segura meu leite que vou gozaaaaaaaaaaaar. Tomaaaano cuuuuuuu filhaaa da putaaaa.
Quando ele terminou de gozar eu caí na cama que não conseguia levantar de dor e com minhas pernas tremendo, não conseguia ficar em pé. As pernas bambeavam e o cu tanto doía como ardia também.
Não fiquei uma semana mais pelo menos cinco dias com o cu ardendo e doendo também. Estava doida para ter aquela rola mais sabia que não iria conseguir, pois fui completamente rasgada por ele, mais também quem mandou eu provocar?(rs).
Espero sinceramente que gostem apesar de ter mais graça quando é relatado por nós dois.
Beijos a todos e até o próximo, junto com ele, claro!

Fui comida na mesa do chefe

Desta vez realizei um dos meus desejos, fui comida na mesa do chefe. O tal relatório ainda estava por fazer e como sabia que estavas só aquela hora, não resisti. Fui até à tua sala, bati à porta, fui entrando devagarinho e perguntando se não precisavas de ajuda com o texto. Tive o cuidado de desabotoar mais um botão da camisa e levantar um pouco a saia antes de entrar.
Eu sei que não devo, mas não naquele dia só conseguia pensar em ti, nas tuas mãos nas minhas mamas, no teu caralho dentro de mim. Coloquei-me de pé atrás de ti e enquanto sugeria algumas alterações ao texto que tinhas no computador, inclinei-me e deixei que o meu decote ficasse ao alcance do teu olhar, pousei a mão no teu pescoço e acariciei a tua orelha. Não precisei de dizer mais nada, eu queria mesmo que me fodesses toda. Se sou, às vezes, fraca ao pé de ti, neste dia estava ultra fraca. Ainda bem que me entendes porque assim não perdemos tempo. Levantaste-te da cadeira e trancaste a porta. Encostaste-te à secretária e puxaste-me para ti. Rapidamente desabotoaste os botões da minha camisa e descobriste os bicos duros das minhas mamas, lambeste e trincaste durante algum tempo porque sabes que isso me deixa húmida, mesmo muito, pensei que não ia aguentar e que me vinha só com a tua língua nas minhas mamas. As tuas mãos já tinham puxado a minha saia até à cintura e puxaste as minhas cuecas para o lado, surpreendeste-te mais uma vez com o poder que tens sobre mim. Acariciaste o meu clitóris com os teus dedos molhados na minha cona. Meteste um dedo na entrada da minha cona e paraste, voltaste a esfregar-me o clitóris, os teus dedos escorregavam em mim, voltaste a parar na entrada, eu não queria esperar e com a minha mão empurrei a tua para que os teus dedos me penetrassem. Fizeste-me a vontade. Enfiaste um dedo, dois dedos, em movimentos lentos. Desapertaste as calças e mostraste-me o teu pau duro, grande, excitado por se sentir naquele momento tão desejado. Pedi-te que me deixasses chupar-te um bocadinho, passei a língua pelas tuas bolas e pela cabecinha, por momentos chupei só a cabecinha e depois enfiei tudo na boca, enchi a boca com o teu caralho e lambi-te algumas vezes. Não resisti e pedi-te que me fodesses a cona, de frente, em cima da tua secretária, implorei mesmo. E realizaste o meu desejo, deitaste-me na mesa, abriste-me as pernas passaste o caralho pela minha cona, desceste e detiveste-te no meu cu, voltaste a subir e meteste a cabecinha na entrada da minha cona, mexias-te depressa mas não passavas da entrada, eu tinha uma mão no meu clitóris e outra nas tuas bolas, não aguentava mais e pedi: mete todo, fode me até ao fundo. De uma vez só meteste todo e eu vim-me num dos mais explosivos orgasmos da minha vida, os espasmos pareciam ser intermináveis e vieste-te logo partilhando o meu entusiamo, senti a tua esporra encher-me a cona. Tiraste para fora e ainda te lambi as últimas gotas. Esta foi uma das melhores fodas da minha vida.
Rapidamente compus a roupa e sai ainda muito afogueada. Ficaste a arrumar a secretária enquanto te recompunhas.

Fui ao almoço da empresa e acabei por ser a sobremesa

À uns dias atrás fui ao almoço da minha secção lá no serviço, já estava marcado há algum tempo. Cheguei ao restaurante com uma colega e entretanto os outros foram chegando. Talvez o meu homem irresistível aparecesse por lá, já a pensar nisso tive o cuidado de vestir uma saia curta.
Sentámo-nos e fomos bebendo um copo enquanto esperávamos pelos outros. Entre dois dedos de conversa sobre questões aborrecidas de trabalho lá apareceu o tal, aquele que me põe quente quando aparece por perto e escolheu sentar-se num lugar ao lado do meu. A tarde foi passando entre conversas mais ou menos animadas pelo vinho que desaparecia dos copos rapidamente. Já o almoço ia a meio quando senti a tua mão na minha perna, a tua mão subia na minha coxa e apertei-a entre as pernas. A respiração entrecortada pelas memórias de outros momentos quentes, não preciso mais do que a tua mão na minha perna para me sentir escorrer. Serei uma mulher fácil, ou serei uma mulher fácil para ti. A tua mão na minha coxa e eu a imaginar que desabotoavas os botões da minha blusa enquanto chupavas os bicos duros das mamas. A minha mão na tua perna sentia-te endurecer e eu a imaginar o teu caralho a encher-me a boca enquanto te chupava, gulosa. E se as nossas colegas pudessem ver o filme que passava na minha cabeça ficariam como eu, quentes, molhadas e se os nossos colegas pudessem ver como te chupo com prazer invejariam o teu gozo na minha boca e ficariam duros só de me observar.
Já a tarde ia adiantada quando conseguimos terminar o almoço e foi difícil livrarmo-nos dos colegas, mas quando o desejo arde assim arranja-se sempre oportunidade. Com a pressa e a tesão só tivemos tempo de nos atirarmos para um gabinete qualquer que estava vazio. Entrámos e ele tirou-me rapidamente as cuecas molhadas, sem perder tempo chupou-me, ávido de mim. Eu nem queria acreditar que a língua dele estava no meu clítoris como eu tinha imaginado durante toda a tarde e não parou de chupar durante alguns minutos. Em seguida livrou-se das calças e deixou-me, deixou-me, sim como se fosse um privilégio, chupá-lo até ficar duro. Entretanto foi dizendo que queria comer-me o cu que andava a sonhar com aquilo há muito tempo e eu fui dizendo que sim, que sim a tudo o que ele quisesse. Fiquei de pé debruçada sobre um móvel qualquer enquanto ele de pé atrás de mim, molhava o caralho na minha cona e apontava ao alvo mais desejado. Doía um pouco mas a dor era atenuada pela excitação, pelo entusiasmo, as mãos dele nas minhas coxas controlavam a penetração. Primeiro meteu a ponta, eu gritava de excitação até que entrou todo dentro de mim, senti como se me abrisse ao meio e não aguentei mais, vim-me enquanto ele lamentava não ter mais tempo para ficar ali o resto do dia a comer-me o cu, Disse-me que eu era boa, mas eu acho que é ele que é mesmo bom naquilo. A seguir virei-me e chupei-o ainda com mais vontade, a minha língua no caralho duro dele, o pénis grande e duro na minha garganta, deixei-o observar-me enquanto o comia com vontade, deixei-o olhar bem para mim para que consiga mais tarde, quando quiser, visualizar o momento na sua cabeça, para que se lembre do meu enorme prazer enquanto o faço vir. Tudo acabou quando ele se veio na minha cara, na minha língua, enquanto eu devorava tudo até à última gota.
Cheguei tarde a casa, faltei a alguns compromissos, fiquei com algumas nódoas negras, mas até hoje fico molhada só de me lembrar do almoço da empresa.

Fudendo com o segurança em um hospital

Olá acompanhantes e amigos de Nega e Nego, demorei a escrever mais estou de volta com uma nova aventura louca dessa nega.
Tudo começou na manhã de sábado (24/03/12), recebi um telefonema de meu irmão patrão, me pedindo para passar a noite no hospital com a sogra dele. Fiquei de dar a resposta na parte da tarde, e acabei aceitando mesmo contrariada.

Muito chateada comecei a me arrumar às 20:00H para ir, peguei um táxi e quando entrei no carro me veio um pensamento malicioso em relação ao motorista(um negão alto e forte), quando ia começar a me insinuar para ele, alguém o chamou no rádio e cortou todo o tesão.

Já no hospital muito deprimida por esta naquele lugar, o meu celular tocou; Era meu nego e macho.

Ele percebeu que eu estava muito pra baixo, começou a falar um monte de sacanagem, e me perguntou se não tinha nenhum enfermeiro que eu pudesse me divertir durante à noite difícil que eu iria passar (ele tinha uma tara louca que eu fudesse com alguém sem ele ver e depois contasse tudo), falei que só tinha mulher e ele insistindo disse:

-Nega deve ter aí um homem que você possa mamar gostoso e dar esse cu. imagina você achar um homem cansado por estar a tantas horas num hospital precisando dar uma relaxada, e você o convida para dar uma boa mamada na piroca dele, fazendo ele gozar feito louco.

-Nego eu só vejo mulher aqui, mais prometo que se eu achar alguém eu tento da uma chupadinha.

-Faz isso pro teu macho, eu vou ficar aqui imaginando minha puta dando pra outro macho, se deliciando com outra rola.
Nos despedimos e eu prometi que iria procurar um macho para relaxar, e passamos a nos falar por mensagem.

Mal desliguei o telefone e avistei o segurança e um outro rapaz com ele, passei por eles e obviamente o segurança me comeu com os olhos, devido ao tamanho de minha boceta e de minha bunda.

Avisei ao Nego que tinha achado um macho para me tirar da depressão. Já cheia de tesão por conta do meu macho, comecei a me insinuar para ele. Passava a mão na xoxota bem devagar para que ele se enchesse de tesão. Depois de um tempo ele veio puxar assunto comigo.

-Pra quem você manda tanta mensagem?

-Pro meu marido, ele está me pedindo que eu arrume alguém para dar prazer.

Ele teve que atender a um chamado do médico e enquanto isso, meu macho me mandava mensagens dizendo o que eu tinha que fazer para atraí-lo para um quarto. Ele mandou que eu sentasse em uma cadeira e abrisse bem as pernas, para que ele visse o tamanho da minha boceta latejante de tesão.

Vi a sala que ele entrou para ajudar o médico com um paciente que estava dando um ataque, sentei na cadeira bem em frente. Abri bem as pernas, mordendo os lábios e passando a língua enquanto ele ficava só me olhando. De vez enquanto ia alisando minha xoxota bem devagar com uma cara de puta e fazia sinal para ele olhar.

Quando deu 2:00H meu Nego que já não aguentava mais ficar acordado (os dias de trabalho dele tem sido muito desgastantes), avisou que a partir daquela hora era comigo e se eu conseguisse me pediu que mandasse uma mensagem pra ele, pois ele queria saber tudo nos mínimos detalhes.

Quando tudo já estava calmo o segurança voltou e começamos a conversar, agora sem interrupções.Ele me disse que o descanso dele era de 3 as 6 e me perguntou;

-Por que você está fazendo isso, o seu marido não dá no couro?

-Dá e muito, sou completamente realizada com ele, só que isso é uma fantasia do meu homem e eu pretendo realiza-la.

-Ele quer ser corno?

-Acho que sim, e você quer me ajudar a transforma-lo em corno?

-Mais o que você pretende comigo se insinuando desse jeito?

-Te deixar louco até você ficar com muito tesão e querer me fuder gostoso.

-Só com o tamanho dessa boceta você já deixa qualquer homem louco de tesão, mais acho que não vou poder te ajudar.

Deu a hora de ele ir descansar, achei que não ia rolar, pois ele foi embora sem falar nada.

Por volta das 3:30, ele voltou e entrou no quarto de isolamento me olhando. Não demorou muito ele fez um sinal pra mim e eu discretamente entrei no quarto.

Entrando naquele quarto vendo ele fechar a porta, me bateu um pavor de estar ali com um macho completamente desconhecido e com muito medo do meu macho se arrepender e me largar.

Aquele homem enorme me pegou pela nuca e veio me beijar, virei o rosto e ele começou a apertar meus seios e foi descendo a mão até minha xoxota, já toda melada e com o grelo duro e latejante de tesão. Foi aí que comecei a relaxar e entrar no clima.

Abri as calças dele tirando aquela piroca enorme e abocanhei fazendo ela tocar na minha garganta, deixando aquele homem louco de tesão com minha mamada e me pedindo pra não parar, porque nenhuma mulher tinha mamado ele como eu.

-Vai sua puta não para de mamar essa rola.

Mamava, lambia, engolia seus ovos me deliciando com o gosto de uma piroca diferente na minha boca, imaginando meu macho vendo eu com aquela rola na boca (apesar de já ter tido várias aventuras com ele, essa sozinha estava sendo maravilhosa), cuspia na cabeça de seu pau e depois fazia ela tocar minha garganta quase engolindo.

Ele me levantou com força, me jogou de quatro na cama e começou a chupar minha boceta (eu adorooooooo ser mamada), ele passava a língua bem devagar no meu grelo que pulsava de tesão.

-Isso, chupa gostoso pra eu gozar na tua boca. Quero você mamando que nem meu macho mama.

-To fazendo do teu macho um corno, chupando essa boceta maravilhosa.

-Me fode com seus dedos. isso enfia tudinho.

-Vou te fazer gozar sua puta

-Para de falar e mama que eu vou gozar. Isso vai vai que eu vou gozar, mama filho da puta mama, aiiiiiiii aiiiiiiiiii to gozando, bebe meu leitinho, lambe seu cachorroooooooooooo.

Gozei gostoso, ele levantou e mirou sua piroca no meu cu, só que a rola dele era bem grossa e eu fiquei com medo de ele me machucar, ele tentou enfiar mais meu cu tava bem fechado que ele não conseguiu.

-Quero fuder esse cu, to louco de tesão nessa bunda enorme.

-Fode minha xoxota que está pulsando de tesão e me deixa gozar nessa rola deliciosa.

Então ele arreganhou minha xoxota e meteu aquela piroca grossa, que foi me arrombando toda e eu adorando.

-Isso me arromba, me faz sentir dor, soca com vontade.

-É piroca de outro macho que você quer? Então toma sua vaca, vou te fuder como você nunca foi.

-Soca com força, mostra que você é macho seu viado.

Cada socada que ele dava na minha boceta eu gemia de dor e prazer, ouvia os gemidos e ia a loucura. Sentia aquela rola saindo e entrando da minha xoxota, um cheiro de tesão que pairava pelo ar, querendo q meu macho chegasse de repente e me pegasse naquela situação, me fez dar uma gozada maravilhosa, falava pra ele;

-Enche essa boceta de leite, deixa teu cheiro pro meu macho sentir. Quando eu chegar em casa vou arreganhar essa boceta pra ele sentir teu cheiro.

-Ele vai ver como a mulher dele é uma vagabunda, que adora dar essa boceta pra outros homens.

-Esporra na minha boceta e deixa ela toda melada.

-Vou gozar sua piranha, guarda meu leite pro teu macho. Aiiiiiii to gozando, que delicia gozar nessa boceta, toma filha da puta, toma meu leite.

-Me da tua rola pra eu lamber.

-Quer o resto do meu leite na boca?

-Quero! adoro ficar com gosto de porra na boca.

Lambia aquele resto de leite com vontade, me deliciando como se nunca tivesse tido uma piroca na boca.Nos arrumamos, e ele disse;

-Espero poder comer esse cu maravilhoso uma próxima vez que você vier aqui, porque a xoxota foi maravilhoso.

-Pode deixar que se eu voltar aqui vou te dar esse cu pra você se deliciar.

Ele saiu do quarto primeiro para ver se não tinha ninguém no corredor e me fez um sinal. Saí como se nada tivesse acontecido e fui olhar a pessoa que eu estava acompanhando, que dormia tranquilamente.

Eu com as pernas bambas ainda dessa trepada maravilhosa, comecei a chamar meu macho por mensagem para contar tudo. Liguei pra ele e comecei a contar, e a cada relato meu ele dizia que sua piroca estava quase explodindo de tesão. Quando cheguei em casa ele me fudeu feito um cachorro no cio. Mais isso eu conto depois, porque já tiveram outras transas com outros machos que irei contar pra vocês no próximo conto.

Espero que gostem, e quem sabe vocês não poderão serem os próximos a desfrutar dessa boceta enorme. Beijos a todos que lerem as aventuras de Nega e Nego, e até a próxima.

Minha amiga casada do escritório

Bom dia.Essa relato aconteceu comigo a pouco mais de 1 ano atras.Trabalho em um escritorio onde tem 10 funcionarios sendo 3 mulheres todas casadas.Uma delas se chama Ana 24 anos.Embora tenha dois filhos ela ainda é muito gostosa.Eu sempre ficava hipnotizado pela sua boca,não tirava os olhos.Sempre rolava conversas sacanas aqui no escritorio, e embora ela dizia ser fiel ao marido sempre gostava de ouvir as sacanagens e piadinhas de duplo sentido.Certo dia deu de ficar eu e ela e mais a mulher do Depto Pèssoal.Como era final de mes a moça do Depto Pessoal naum saia da sala dela. Entaum começei a tc com a Ana pelo MSN , ate que aconversa foi pro lado da scanagem.Ela vestida de saia acima do joelho e blusa decotada dizia que estava muito carente fazia dias que naum transava com marido e que achava q ele tava traindo ela.Troquei a foto do meu msn por uma em que eu estava sem camisa.Ela disse que estava provocando ela e que eu tinha um corpo muito atraente.Disse que estava a disposição pra tirar a carencia dela .....achei q ela fosse fechar o msn e nunca mais conversar comigo.Entaum ela manda uma msn dizendo que era pra eu ir na sala do arquivo morto.Dois minutos depois me enchi de coragem e fui, quando cheguei la ela estava com uma cara de brava e disse que eu não deveria ter dito akilo pra ela.Quando fui pedir desculpas ela me lascou um beijo gostoso que na hora meu pau ficou duro.Ela logo pegou começou a abir o ziper e a dizer pra eu ficar quietinho se naum ela ia gritar e dizer q estava sendo assediada por mim. Ela ajoelhou e me chupou gostoso.Eu morrendo de medo e tesao nakela hora disse pra ela que akilo era loucura que iamos ser mandado embora.Ela disse que nessas horas uma mulher carente não pensa nas consequencias. Foi quando ela e continuava a me beijar de um jeito que nunca tinha sido beijado.Depois ela ficou de costas pra mim se apoiando nas estantes no meio das caixas de arquivo e disse que era pra aproveitar oque o marido não usava mais.Meti com gosto naquela bucetinha que tanto queria comer.ela rebolava e se contorcia tanto que parecia que fazia mas de anos que ela naum transava quando vi que ela ia gemer como doida fiz ela morder minha camiseta pra ninguem ouvir.vendo isso me deu mais tesao e disse que ia gozar ela falou pra eu gozar fora .....logo tirei meu cacete...ela deu mais algumas chupadas e me fez gozar dentro de uma caixa vazia, que logo depois jogamos fora.Ela saiu e foi direta para o banheiro e eu voltei pra minha sala, ainda tentando recuperar de tudo que aconteceu, quando ela manda outra msn dizendo q se eu naum contar pra mais ninguem talvez repetiria a dosse agora encima da minha mesa.

Rose uma mulher insacivel

Conheci a Rose numa sala de bate papo ainda na era da internet discada, eu estava na sala dos 40/50 e ela entrou, quando ela me falou que tinha apenas 34 anos eu até brinquei o que vc faz na sala dos mais coroas, idade dos lobos, mesmo porque eu era 10 anos mais velho que ela então  ela respondeu apenas ... porque??? não posso??? Logo respondi que sim que eu estava brincando que era um prazer teclar com alguem tambem do Paraná  ainda mais que a cidade dela ficava apenas 230 kms da minha, pois eu moro em Curitiba e ela no interior  isso faz algum tempo atraz.

Durante todo o tempo conversavamos sobre tudo abertamente descobri que ela era crente da igreja luterana, então tinhamos afinidades porque eu tenho formação evangelica tambem, e falavamos de tudo menos de sexo, nunca tocamos nesse assunto em nossas conversas,  ela era casada e eu tambem sou por isso houve entre nós um respeito mutuo, mas nos demos tão bem que entramos em sintonia e  não viamos a hora de chegar o sabado e domingo que era o dia que tinhamos pra conversar sem que a conta do telefone fosse parar nas nuvens;

Fomos ficando cada vez mais intimos trocamos informações  trocamos o numero do telefone e sempre que dava eu ligava pra ela durante o dia principalmente porque  nesse horario o marido trabalhava e podiamos conversar a vontade, descobri que ela fazia um curso técnico fora da cidade dela e que viajava uma vez por mes e ficava de quinta a domingo nesse curso, falavamos de outras coisas tambem mas  ela nunca reclamou do seu casamento ao contrario de mim que meu casamento estava numa rotina de dar dó, e assim fomos até que um dia eu falei pra ela que teria que visitar Curitiba um dia ou eu teria que ir a Guarapuava pra conhece-la então  ela respondeu que viria sim que eu tivesse paciencia, porque uma das professoras dela morava aqui e que ela queria vir visita-la pra ter instruções sobre o curso que seria dificil em turma, no que eu falei então se vc vem quero que reserve pelo menos uma tarde toda pra que eu possa te mostrar a cidade e passear com voce, ela disse não se preocupe voce terá, e disse ainda vc pode pesquisar um hotel pra mim vou ficar dois dias.

Eu fiquei entusiasmado porque finalmente iria conhecer pessoalmente aquela mulher que me encantava que nos davamos tão bem, até que num belo dia quando começamos a teclar  ela disse, tenho uma supresa pra voce, eu marquei passagem pra semana que vem, quinta feira, voce estará disponivel na tarde, eu respondi prontamente, claro se não tiver eu arranjo um jeito, ainda mais que eu podia fazer meu horario porque trabalho por conta e posso me dar ao luxo de não trabalhar quando eu quero ou preciso.

      Chegou a quinta feira ela pegou um onibus na cidade dela as 7.30 da manhã chegou aqui por volta das 11.30, quando ela desceu do onibus usava um conjunto de Blazer e calças claras, quando olhei tive a certeza que era ela, estava linda, peguei na rodoviária, coloquei a mala no porta malas do meu carro, e falei onde vc quer ir primeiro, ela falou vou na casa da professora assim resolvo isso de uma vez depois a gente sai pra onde vc quiser, eu a levei até o bairro que a professora morava, ao deixa-la perguntei, vc vai demorar, me liga assim que estiver livre que eu venho te pegar, então ela falou que não demoraria se eu tivesse paciencia levaria apenas uns 45 minutos, eu exclamei só!!! então resolvi esperar por ali mesmo.

Não passou meia hora meu celular tocou era ela dizendo que tava livre já que poderia pega-la, como eu tava perto não demorou 2 minutos e já estava com ela, como era cedo meio dia e meio ainda resolvi leva-la pra almoçar, depois iniciamos o passeio, levei-a pra conhecer o parque tanguá, opera de arame, jardim botanico, centro civico, enfim não ficou nenhum ponto turistico sem visitar, passamos a tarde toda de maneira comportada e ao cair da tarde fomos confirmar o hotel, deixei meu carro na garagem ela pediu um quarto de solteiro e subiu ao quarto eu eu a acompanhei.
      Chegando lá continuamos a conversar apesar de eu desejar aquela mulher estava com certo medo de tentar e receber um não, como estava calor, então ela entrou no banheiro  tirou a roupa que estava o dia todo tomou um banho  e colocou um shorts e uma camiseta  branca percebi que ela estava sem soutiem, então resolvi ser mais ousado e arriscar quando ela saiu aproximei-me peguei as suas mãos puxei-a pra mim e olhei em seus olhos, disse Rose é tão bom que vc está aqui na minha frente e dei um beijo na boca, a principio ela correspondeu mas logo  se afastou de mim e sentou na cama fficou com olhar distante , eu perguntei que tinha acontecido e se a ofendi que ela me perdoasse se tinha sido ousado, ela falou que não se ofendeu que só queri deixar claro uma coisa antes de continuar, perguntei o que era?

Ela me disse Olha Edson, não quero que pense coisas que na hora H to regulando porque eu tambem quero voce, mas o que acontecer aqui deve  ficar aqui entre essas 4 paredes e vai acontecer uma vez só, tudo bem pra voce, eu ja estava super excitado de pau duro, concordaria naquele momento com qualquer exigencia só pra ter aquela mulher, eu a desejava muito sempre a desejei mesmo quando teclavamos e nunca falamos sobre sexo mesmo assim eu a desejava, me aproximei dela passei a mão em seu rosto e disse, Rose, nós dois somos casados no entanto estamos aqui os dois sozinhos e desejando a mesma coisa, ela quiz dizer algo então eu não deixei, meus labios se aproximaram dos dela e rolou ali o primeiro beijo, não preciso nem dizer que não a partir daquele momento eramos  fogo e paixão.

Ela retribuiu com impeto  Nossos labios colados, minhas mãos trabalhavam acariciando seu corpo enquanto as mãos dela tambem acariciavam meu corpo não tinhamos pressa estavamos curtindo aquele momento magico, então minhas mãos alcançaram seus seios comecei a acaricia-los senti que ela estava gostando caprichei nas caricias, retirei sua camiseta então vi sua pele branquinha de quem quase não pegava sol ela estava nua da cintura pra cima porem ainda continuava de shorts, então ela retirou tambem minha camisa, e nos abraçamos com nossos peitos nus, senti o calor de seu corpo no meu, e por fim estavamos ambos nús
         Abraçados então eu a levei rumo a cama, no quarto tinha apenas duas camas de solteiro ajuntei as duas como se uma de casal, e a deitei e continuei acariciando seu corpo dessa vez comecei a chupar-lhe os seios ela gemia de prazer, beijei-lhe a barriga o umbigo e finalmente com jeitinho retirei seu shorts junto com a calcinha, deixando-me a mostra os seus pentelhos e sua buceta, fiquei maluco com aquela visão, então abri as suas pernas e com a lingua dediquei especial atenção ao seu clitoris com lambidas gostosas e a cada lambida ela se contorcia e gemia de prazer, eu percebendo isso caprichava mais ainda pra ela nunca mais esquecer.

Quando finalmente resolvi penetra-la quiz fazer sem camisinha no que ela impediu dizendo sem proteção não.... então peguei o preservativo que já tinha levado, embora tivesse um receio de levar um não mesmo assim fui prevenido, meio que desajeitadamente coloquei a proteção abri as pernas dela e a penetrei com uma vontade enorme, numa volupia de quem estava sedento, enquanto bombava, bombava beijava sua boca num ritual gostoso de dois amantes, nois dois ali curtindo aquele momento que ambos sonhamos um dia, ela rebolava em meu pau até que gozamos juntos....

Enquanto descansavamos do primeiro tempo preparando para o segundo tempo ela me pediu que a comesse por traz, não entendi direito então ingenuamente a coloquei de 4 de peguei no seu cabelo a puxei a contra meu pau e penetrei na sua buceta enfiei fundo até as bolas agarrei em seis seios e ela gemia e assim transamos mais uma vez até que o telefone tocou era o porteiro pédindo pra que eu descesse porque iria trocar de turno e que como só ela estava registrado eu precisava sair até as 23 hs, então tomei um banho nos despedimos e combinamos que a pegaria na manhã seguinte ali mesmo no hotel.

Na manhã seguinte por volta das 9 hs a peguei e resolvemos fazer um outro passeio, só que tinhamos apenas até as 3 da tarde porque ela já tinha comprado a passagem, então andamos um pouco pela cidade resolvemos pegar um motel na hora do almoço porque era mais pratico almoçarmos no motel mesmo, então peguei uma suite com hidro, mal  entramos já nos agarramos antes mesmo até de fechar a porta, fomos ambos tirando a roupa um do outro entre abraços e beijos quando nos demos conta estavamos nús.
          Fomos nos beijando e indo em direção a cama, deitei-a então e comecei a beija-la, beijar seu corpo todo, dar-lhe caricias de forma que ficasse excitada, dessa vez mais tranquilos e no ambiente adequado fizemos um gostoso 69, até que finalmente a penetrei novamente gostosamente, ela gemia, eu gemia era um misto de gemidos e prazer quando outra vez ela me pediu se eu a comeria por traz, falei que sim, coloquei de 4 novamente e ia penetrar na buceta quando ela falou, não ai, quero que me penetre por traz mas não na buceta eu quero que me coma o cu, isso é como um gatilho de tesão em qualquer homem, nem preciso dizer que na hora fiquei super excitado
eu falei então fica de 4, ela falou não assim doi e escolheu uma melhor posição ela deitou de lado na cama e disse assim é melhor, peguei um gel lubrificante que tinha no sex shop do motel lubrifiquei bem o cuzinho e meio afobadamente coloquei a cabeça forcei um pouco ela reclamou da dor falou vai devagar com jeitinho que entra., e pediu-me pra masturbar enquanto a penetrava.
Quando dei por mim meu pau já tava todo dentro do cuzinho dela e ela rebolava gostoso enquanto eu metia no cuzinho e masturbava seu clitoris ela gemia de prazer e rebolava, quando mais rebolava mais excitado eu ficava, até que senti ela gozar devido as contrações do seu anelzinho em meu pau, que delicia imediatamente tambem gozei...
Depois disso fomos  tomar um banho de hidromassagem ficamos um bom tempo ali curtindo e conversando, então ela me disse que o marido dela tinha ciumes e que tinha medo que ela de repente arranjasse alguem pela internet devido a historias que ele tinha conhecimento e que ela nunca abandonaria o marido por alguem virtual, por isso que ela tinha feito aquela condição de que ficaria entre nós que não poderia haver um romance , falei pra ela que tudo bem eu entendia mesmo que eu tb era casado, etc e tal enfim acabamosnos entendemos be, quando vimos estava faltando apenas 1 hora pra ela pegar o ônibus na rodoviária, então e levei esperei ela pegar o ônibus e senti um misto de tristeza e saudades ao mesmo tempo pelos dois dias que passamos juntos, depois disso nos encontramos mais 3 ou 4 vezes, então ela se afastou de mim, por mais que eu insistisse ela se recusava uns 6 anos depois ela prestou um concurso no estado e precisou vir até minha cidade quando soube disso ofereci carona pra ela ela disse que aceitaria mas que eu nem tentasse reatar o passado que ela estava de boa com o marido e não queria mais ser infiel, mesmo assim quando tive oportunidade peguei meu carro com p pretexto de passear fui até o motel que fomos na primeira vez, tentei entrar, ela se recusou, abriu a porta e ameaçou descer ali mesmo se eu continuasse... foi quando eu me convenci que realmente não haveria outra vez.. mas eu daria tudo pra comer essa mulher de novo, foi a mulher que me fez ir as nuvens...

Se beber não hospede

 Na época tinha 22 anos, fui ao interior de São Paulo para assistir o casamento de um amigo, chegando na casa deste amigo, descobri que não tinha onde dormir na casa dele, já estava a me dirigindo para um albergue que existia lá, era mais barato, um casal amigo deste meu amigo me convidou para ficar na casa deles, falei que iria incomodar mas eles insistiram.
        Chegamos na casa fomos nos arrumar para sair mais tarde, era uma quarta feira ainda, e a noite fomos para um bar junto com o restante dos nossos amigos, a noite estava ótima, nos divertia, só que, o marido que tem 44 ans estava entornando todas ao ponto de leva-lo carregado para casa. Ate ai tudo bem, nunca fui de beber, colocamos ele na cama ela mandou eu tomar banho que iria fazer algo para comer, tomei o meu banho e me aninhei no sofá, logo veio ela com um lanche para nos, ela se desculpo pelo marido e sempre era assim, ele tomava todas e a noite acabava ele dormindo e ela só, ela já tinha tomado banho e estava com uma camisola comportada, não tinha ainda prestado a atenção na morena deliciosa que ela era, tinha 36 anos a.1,65 uns 60kg bem distribuído, e conforme ela ia falando e a minha mente viajava nas possibilidades, em um movimento ela deixou revelar parte do seu corpo, coxas e colo do seio, nos meus 22 anos o meu pau ficou duro e estava de short, tentei disfarçar com uma almofada e ela sem graça ao perceber, ficou vermelha e se retirou. No outro dia fomos ajudar nos preparativos e a noite mais uma vez fomos a um bar, o marido bebeu todas de novo, mais um vez o levamos para casa e ela também bebeu mais do que no outro dia, colocamos ele na cama e mesma coisa fui tomar banho só que, desta vez veio ela com uma camisola não muito comportada, reveladora e lamentou mais uma noite que ele bebe e que ela fica só, eu falei que ela não esta só, eu estava lá para fazer companhia, ela sorriu e perguntei se ela gostava de cafuné, falou que sim e a mandei se deitar no meu colo que o faria e era bom nisto, sem responder ela deitou e se aninhou no meu joelho, o meu pau já estava duro e comecei a fazer o cafuné com uma das mãos e a outra repousada em sua coxa, fui devagar puxando ela para cima do meu pau e ela não ofereceu resistência, se aninhando quando chegou nele, fui rodando o seu rosto de forma que ficasse com a boca na direção e ela começou a dar mordidinha na cabeça do meu pau e a minha mão já viajava em sua bunda e tocando a bucetinha que já estava ensopada, quando enfiei o dedo na bucetinha ela deu uma uma mordida mais forte em meu pau e gemeu, tirando o meu pau para fora e começando dar chupadas deliciosa nele quase me levando a gozar, e ficamos nesta por vários minutos. Puxei o seu corpo para o lado e me levantei colocando ele toda para fora e me maravilhando em ver aquela mulher descontrolada upando o meu pau como se fosse o ultimo da sua vida, a coloquei sentada no braço do sofá e tirei a sua roupa e fui me deliciando com aqueles seios lindos e uma bucetinha raspadinha que ela confesso que rapou pensando em mim, conforme ia descendo ela ia gemendo mais alto e quando cheguei no seu grelinho e dei um beijo na sua boceta como se fosse uma boca, ela gemeu e tremia, deixando correr todo o seu liquido para a minha boca, e comecei a morder o seu grelinho era bem saliente e passando a linguá do grelo ate chegar o cusinho e ela em multipros orgasmo me apertava em sua pernas, me levantei e coloquei a cabeça do meu pau na entradinha da sua boceta, ela relaxou e olhou para mim sorrindo e fui empurrando bem devagar cada centímetro, 20 po3;5 e quando senti a o meu saco bater em suas nádegas, ela ameaçou a se descontrolar e gemer auto, tampei a sua boca e mandei ela se acalmar, com o meu pau todo enterrado e ela ofegante mais calma, comecei a socar bem devagar a minha pica naquela bucetinha babada mais apertadinha, e conforme socava via no rosto dele o prazer e eu me puxou para ela e começou a falar e pedir sacanagens para mim e pedia para socar forte, me abraçando e abafando os seu gemidos me beijando, ate que, se livrou da minha boca e soutou um gemido auto e meio desfalecida ficou mole no sofá, ela se recuperou e sorrindo e vendo que ainda não tinha gozado, se sentou no sofá e mesmo lambuzado com o gozo dela, fez um boquete alucinante onde gozei em sua boca, falando que nunca tinha tomado porra.
        Ela se ajeitou e estava se dirigindo para a coisinha quando eu a segurei no braço e a beijei, o meu pau não amoleceu, e pedi a ela o cusinho, ela falou que ate já deu para o seu marido mas ele era a metade do meu, fui insistindo e virando ela de costa e a levando para o sofá, a coloquei de novo no braço do sofá e levantei bem as pernas dela, de forma que a bucetinha ficava para mim e o cusinho livre também, coloquei de uma vez só na sua bucetinha e melando o meu pau o máximo que podia, tirei e encostei na entradinha do seu cusinho forçando a entrada da cabeça, ela fechou os olhos e respirou fundo, coloquei a os dedos dela massageando o seu grelinho e os meus dedos brincando com a sua bucetinha, ela se acostumou com a cabeça dentro e fui cadenciando o rebolado da sua anca ate ela por si só estava rebolando empurrando o seu corpo e cusinho no meu pau, e foi entrando bem devagar com gritinhos abafados e e me chamando de puto safado, perguntei se queria que tirasse, e ela falou, já tinha arrombado ela e agora estava ficando gostoso deixa, fui empurrando e ela aguentando e gemia de dor e tesão ate iniciar um rebolado descontrolado e ofegante me mandava socar fundo no seu cusinho ate que gozamos juntos

A casada no onibus

Sou Gaúcho tenho 29 anos, faço Pós-Doutorado em SP e dou aula em uma Universidade importante da cidade de São Paulo... Sou natural do interior do RS, cuido muita da minha saúde, portanto malho faço academia e tenho corpo definido nada de exagero mas as meninas gostam e a minha saúde agradece... Em uma viagem de onibus do interior do RS para São Paulo voltando de uma visita a família, tive que voltar de ônibus pois não consegui passagem de avião, pois odeio viajar de bus... Entrei no onibus sentei na minha poltrona a penultima do bus e ninguem sentou atras e nem na frente somente um casal na diagonal, como eu sabia que a viagem seria longa após a partida do onibus tirei meu livro da mochila e comecei a ler, depois de umas 2 horas de viagem a esposa do cara da frente sentou nas poltronas ao lado da minha e como eu estava concentrado na leitura não prestei atenção, mas senti que ela me observava, olhei para ela e ela me olhou e deu um sorriso sexy e safado... Tenho tara em casadas já transei com algumas após terminar meu noivado... Mas como o marido estava na frente nem dei bola, pois odeio confusões... Quando olhei para ela, ela me mandou um beijo, comecei a olhar e vi q ela era linda usava uma sainha curtinha e uma blusa tomara q caia, peguei um bilhete escrevi e mandei para ela, ela pegou leu e respondeu dizendo que me achou muito lindo e queria me conhecer, escrevi no bilhete se ela era casada, ela disse sim e que o marido era ciumento... Mas disse que queria me conhecer, logo o bus parou para jantar... Ela desceu com o corno de mão dada, fez questão de sentar de frente a minha mesa e dar um beijo nele, quando ele foi ao banheiro ela abriu as pernas e me mostrou que estava de calcinha branca... Ai vi que ela era safada e fiquei doido, porque ela era linda, tinha uns 37 anos, bumbum redondinho, peito médio, rostinho lindo, e cabelos compridos... Quando voltamos da janta o corno deitou no banco da frente e a safada deu um beijo nele deitou ao meu lado nas poltronas ao lado e pegou um cobertor, olhei para ela e ela lambeu os lábios sentou na poltrona do corredor e eu tbm ai ela olhou para o corno dormindo ficou observando, o onibus com a luz apagada e ninguém sentado perto, começamos a conversar e ela pegou minha mão e colocou no peito dela, na hora fiquei de pau duro ( tenho 22 cm sem exagero ou demagogia) olhei para ela e disse q queria a calcinha dela ela disse não então eu disse que encerrava por ali, dae ela pegou tirou a aliança e me mostrou que era casada, peguei a aliança e disse que iria entregar ao corno e que contaria que ela estava se insinuando se ela não me desse a calcinha dae a putinha casada foi ao banheiro, e voltou com a mão fechada, chegou perto de mim e jogou a calcinha no meu rosto, peguei e nem acreditei super cheirosa mesmo, de verdade calcinha super cheirosa comecei a cheirar e a puta casada voltou a olhar se o corno estava dormindo, viu que estava tudo ok se encostou com a cabeça na janela do bus a luz apagada ela se tapou com o cobertor abriu as pernas e levantou o cobertor para eu ver ela sem calcinha e ligou a luz do celular de baixo do cobertor, vi uma xotinha linda toda babadinha de suco de xota, molhadinha mesmo e raspadinha, peguei a calcinha dela e comecei a cheirar, ela começou a tocar uma siriria e eu tirei o pau para fora e comecei a bater uma, quando ela viu minha mega pica dura, a safada pirou começou a socar 3 dedos na xota a chupar eles e fazer cara de vadia para mim...Ela olhou para o corno de novo chegou perto de mim e disse q era para avisar quando eu iria gozar.... eu disse ok... E ela pegou minha mão e levou até a xota dela, estava escorrendo coloquei 2 dedos e ela ficou louca, e pegou no meu pau, mas sentada no banco dela, quando ela pegou me chamou para perto e disse q era muito grande e duro que ela queria dentro dela e iria tomar o leitinho dentro do bus mesmo.... Eu avisei que iria gozar a safada olhou para o banco da frente e escutavamos o corno roncar, como o onibus estava semi vazio ela levantou o encosto do banco se inclinou no corredor e caiu de boca no meu pau, que chupada gostosa, gozei muito na boca dela me assustei porque ela engasgou e fez barulho, mas o corno não acordou. Ela voltou a posição normal, ligou a luz do celular abriu a boca abaixou a blusa e deixou a porra escorrer da boca dela para os peitos, quando vi isto meu pau saltou d novo ela passou o dedo nos peitos juntou toda porra para boca e me mostrou que estava com a boca repleta de esperma, pois ejaculo bastante e engoliu tudo, bem safada.... Voltou a olhar para o corno e disse que agora queria dentro dela eu disse que não, era muito perigoso e como tenho uma carreira e prezo muito pela minha conduta e imagem disse não, mas a puta casada queria mesmo, levantou de pé levantou a saia na minha cara e disse que queria me dar, então não aguentei e abri minha carteira sempre ando com uma camisinha, peguei a mesma e coloquei a puta sentou no meu colo e tentou encaixar meu pau na xotinha dela, não conseguiu pq era muito apertada, mas ela deu um jeito e engoliu meu pau deu uma gemidinha e disse que eu iria rasgar ela, ela também falou que nunca sentou em um pênis grande como o meu... Mas ela estava em transe, pq começou a gemer e eu me assutei pq as pessoas estavam longe nos bancos mas o corno roncava muito próximo, mandei ela calar a boca e a puta cavalgou quando ela iria gozar fomos surprendidos por uma mulher que levantou para ir ao banheiro, dae ela saltou e sentou no banco dela, acredito que a mulher viu, mas fez de conta que não percebeu nada... Mas esta casada é tão safada que esperou a mulher sair do banheiro e sentar e pegou no meu pau tirou a camisinha chupou e lambeu a camisinha, ela parecia uma dondoquinha pirua mas muito puta, dae pegou no meu pau e deu uma lambida o corno se mexeu, ela voltou para o banco e olhou para o corno que ainda dormia, pegou no meu pau duro tirou fora da calça e tocou uma punheta até eu gozar na mão dela, ela levou a mão ate a boca cheia de porra e chupou tudo, depois esfregou porra no rosto que ainda sobrou nos dedos, derrepente ela se arrumou.... Acordou o corno ele olhou para ela e ela deu um beijo nele de lingua, e olhou para mim... Ai percebi que ela era muito vadia e sem vergonha, beijou o corno com minha porra no rosto e na boca..... NUNCA DIRIA QUE AQUELA MULHER BEM ARRUMADA, PERFUMADA, CHEIROSA E COM JEITO DE MULHER DESCENTE FOSSE A VADIA CASADA QUE ERA.... Mas como não conseguimos foder de verdade, ela pegou meu cel e eu o dela. Pois eu desci em SP e ela iria até o RJ, dois 2 dias depois do ocorrido meu cel tocou atendi era ela, toda educada e querida me disse que estava com o corno no RJ e que ele ficaria lá e ela voltaria para o RS, ele só voltaria em 15 dias, dae ela disse que queria terminar o que começou, disse que desceria em SP e ficaria um final de semana comigo.... (O RESTO CONTO NO PRÓXIMO CONTO, MAS JÁ ADIANTO COMI ELA GOSTOSO 2 DIAS DIRETO ATÉ A BUNDINHA A SAFADA CASADINHA ME LIBEROU). Pessoal, ressalto que o conto é real, sei que é extenso mas cheios de detalhes, espero que tenham gostado pois todos os fatos são reais mesmo. Nunca passei por uma situação bizarra e diferente como esta, achei que não teria coragem para isto, pois preservo muito minha imagem devido minha profissão... Descobri que ela era uma mulher culta e educada, era formada em Administração e tinha mestrado na área, era gerente da parte de Marketing em uma empresa no interior do RS, segundo ela,não acredito muito, mas ela me disse que nunca foi puta daquele jeito, mas ela queria muito trair o corno pois ele estava traindo ela e ela descobriu e com ela na cama ele não era nada satisfatório foi isto que ela falou..... Pessoal passo meu e-mail para contato. Adoro casadas, mas só me envolvo com mulheres cultas, educadas e lindas que busquem sexo de verdade, tudo com respeito sigilo e higiene.... As casadas, solteiras ou cornos que queiram liberar as casadinhas podem entrar em contato no meu e-mail, terá preferencias os contatos com fotos das mulheres (DEIXO CLARO SÓ ME ENVOLVO COM MULHERES, NEM PERCA TEMPO SE NÃO FOR MULHER, DEIXO CLARO SOU HOMEM, SOU MACHO 100% HETEROSEXUAL) posso conhecer mulheres de SP, SC e RS, outros lugares podemos combinar....